segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Chacina de Osasco e Barueri

   Foto: Mauricio Maranhão/APP - Alliance Photo Press

Há dois anos, 19 pessoas foram assassinadas em uma série de ataques nas cidades de Osasco e Barueri, região metropolitana de São Paulo. Três policiais militares (PMs) e um guarda civil são acusados pelos ataques, no caso que ficou conhecido como Chacina de Osasco, mas alegam inocência. No dia 18 de setembro, começa o julgamento de três dos acusados, que vão a júri popular por 24 crimes de homicídio – 17 consumados e sete tentativas.
“Para mim, parece que aconteceu ontem. O tempo não passou para mim ainda, cada vez pior. Você levanta com isso na cabeça, dorme com isso na cabeça. Você tem que aceitar da forma que foi, é revoltante, você tem que engolir e conviver com isso. É isso que é a minha revolta”, diz Zilda Maria de Paula, mãe de Fernando Luis de Paula, um dos mortos na chacina. Zilda vai depor no julgamento em nome dos parentes das vítimas, mas não quer assistir ao restante da audiência.
“Eles não mataram só os meninos, eles nos mataram também. Nós estamos morrendo a cada dia que passa, não sai da cabeça, é uma dor sufocante”, desabafa. O filho de Zilda, com 34 anos, tinha saído para cortar o cabelo e depois foi a um bar com amigos no dia 13 de agosto de 2015. Ela conta que Fernando foi um dos últimos rapazes assassinados naquele bar e  viu os amigos serem baleados e, sentado em uma cadeira, nada pôde fazer.
Para o promotor do Ministério Público (MP) designado para o caso, Marcelo Oliveira, há provas suficientes para a condenação dos réus, apesar das dificuldades para investigar crimes cometidos por policiais, já que eles conhecem todos os meios de investigação. A previsão é que o julgamento dure cerca de uma semana.
“Nós não vamos ter êxito num exame de confronto balístico com as armas pessoais dos acusados porque eles não seriam tão ingênuos a ponto de praticar o crime com as próprias armas. Nós não vamos encontrar o sinal dos celulares deles nos locais dos crimes porque eles não vão levar os telefones celulares. Eles sabem, todo mundo sabe hoje: telefone celular, além da função que é óbvia de telefone, ele tem outra, que é ser rastreado”, diz Oliveira.
De acordo com a denúncia do MP, os assassinatos foram motivados pelo desejo de vingar a  Na decisão de levá-los a júri popular, a juíza Élia Kinosita Bulman afirmou que há elementos suficientes nos autos que comprovam a participação dos réus.
O promotor Marcelo Oliveira afirma que há mais pessoas envolvidas no massacre. “Diante da magnitude do evento, tenho certeza de que não são só os quatro que vão a julgamento que estão envolvidos na chacina. É evidente que há outros, alguns planejaram, outros até mesmo executaram, e não foram identificados. Cada um teve um papel ali.” Durante as investigações, houve relatos de que, em alguns locais dos crimes, o patrulhamento por viaturas da Guarda Civil era frequente. No entanto, no período das mortes, não houve patrulhamento algum.
Os réus
O PM Fabricio Emmanuel Eleutério foi reconhecido por um sobrevivente da chacina. “Isso é prova robusta [o reconhecimento]. Se alguém atirar em você e você sobreviver, vir o rosto do sujeito e falar: 'é ele', que juiz que vai absolver no mundo? Que interesse que você tem imputar o crime ao outro indivíduo que não aquele que disparou contra você?”, enfatiza o promotor.
A advogada do policial, Flavia Artilheiro, disse a reportagem que dados do celular de Eleutério mostram que, no momento dos crimes, ele estava a 7 quilômetros do local da chacina e que o rastreador do carro indica que, entre as 19h30 e as 22h40, ficou estacionado no endereço da namorada dele, o que foi confirmado pela moça e pela mãe dela.
Já o guarda civil Sérgio Manhanhã não atirou contra as vítimas, mas sua participação contribuiu para a consumação dos crimes, afirmou Oliveira. “O papel dele foi bastante fundamental, apesar de ele não ter disparado uma arma de fogo. Ele simplesmente desviou as viaturas dos locais onde os homicídios ocorreriam – era tudo o que eles [assassinos] precisavam”, disse o promotor. “Eles só não podiam ser pegos. Uma vez concluída a chacina, eles sabiam que seria dificílimo pegar os autores do crime”, acrescentou.
Outro envolvido, o policial Vitor Cristilder Silva dos Santos disse, em depoimento, que permaneceu no batalhão após o fim da jornada de trabalho. De acordo com o promotor, houve uma troca de símbolos por meio de aplicativo no celular, que ocorreu no horário em que os crimes foram cometidos. Cristilder mandou o desenho de uma mão fazendo sinal de positivo para o guarda civil, que respondeu com o mesmo símbolo e com outro simbolizando um braço forte.

Cristilder foi o único a recorrer da sentença que determinou o julgamento, portanto, não vai a júri nesta ocasião. A reportagem procurou a defesa do policial, mas não obteve retorno até a conclusão da reportagem.
Segundo o advogado de defesa de Manhanhã, Abelardo Julio da Rocha, não havia qualquer relação de amizade entre seu cliente e Cristilder, apenas coleguismo. Os réus reconheceram a troca de mensagens, mas afirmaram que se referiam ao empréstimo de um livro jurídico do guarda civil para o policial. A defesa acrescentou que o guarda civil “comandava apenas quatro viaturas da Guarda Municipal de Barueri e não tinha autoridade para determinar outro local de patrulhamento a não ser aquele predeterminado pelo comando da Guarda”.
Contra Thiago Barbosa Heinklain, há relato de testemunha dando conta de que o policial discutiu com a esposa, que o teria reconhecido em imagens de câmeras de segurança divulgadas por emissoras de televisão sobre o caso. A discussão foi ouvida por uma pessoa, que relatou o ocorrido para outra pessoa próxima, que, por sua vez, testemunhou à Polícia Civil. No entanto, a testemunha teve medo de reafirmar o depoimento perante a juíza.
O advogado Fernando Capano disse que não há lastro probatório para condenar Thiago no processo e que o MP não demonstrou a participação de seu cliente nos fatos apurados. “Não podemos condenar um homem apenas por 'ouvir falar'”, acrescentou Capano.
Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que os inquéritos da Corregedoria da PM e do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, da Polícia Civil, foram concluídos com o indiciamento de seis PMs e um guarda civil municipal. Posteriormente, a promotoria ofereceu denúncia contra os sete indiciados, mas a Justiça Criminal de Osasco acatou denúncia apenas contra quatro deles, que estão presos e são réus no processo.
Segundo a SSP, a juíza rejeitou a denúncia contra os outros, que estão afastados do trabalho operacional. Os seis PMs respondem atualmente a processo demissório.

Com informações da Agência Brasil 
Repórter Fotográfico - Mauricio Maranhão 

ONU declara dia 15 de Setembro Dia Internacional da Democracia

Realçando a contínua necessidade de promover a democratização, o desenvolvimento e o respeito pelos direitos humanos e as liberdades fundamentais, a Assembleia Geral acordou hoje que se comemore, a 15 de Setembro de cada ano, o Dia Internacional da Democracia.

Ao adotar por consenso a resolução sobre esta questão, a Assembleia Geral reiterou hoje que “embora as democracias partilhem traços comuns, não há um modelo único de democracia e a democracia não pertence a nenhum país ou região.”

A Assembleia reafirmou ainda que a democracia é “um valor universal baseado na vontade, expressa livremente pelo povo, de determinar o seu próprio sistema político, econômico, social e cultural, bem como na sua plena participação em todos os aspectos da vida.

A Assembleia convidou também todos os Estados-membros, as organizações do sistema da ONU, as organizações regionais e intergovernamentais, as organizações não governamentais (ONG) e os indivíduos a comemorarem o Dia “de uma maneira apropriada que contribua para a sensibilização do público.”

Ao tomar a medida de hoje, a Assembleia reconheceu que o ano de 2008 marca o vigésimo aniversário da primeira Conferência Internacional sobre Democracias Novas ou Restabelecidas, que proporciona uma oportunidade especial para dar atenção à promoção e consolidação da democracia a todos os níveis.

Fonte: UNITED NATIONS 
Foto: Mauricio Maranhão/APP- Alliance Photo Press 

Conteúdo 

Cracolândia da era Doria - Arquivo 2017

01/08/2017 \\ Cracolândia - São Paulo-Brasil
Usuários de droga voltaram a se concentrar, nesta terça-feira, na região da antiga Cracolândia, no quarteirão entre as ruas Helvétia e Dino Bruno, no centro de São Paulo. Eles chegaram até a montar barricadas com caçambas de lixo para evitar a passagem de carros e pedestres.
As polícias Militar, Civil e a Guarda Municipal bloquearam faixas na Rua Helvétia, para vistoriar perímetro da Cracolândia. Na ação, policiais juntam usuários de drogas em pequenos grupos nas calçadas e fiscalizam os pertences. Nas outras ruas da área, também há muito lixo e entulho.
Nessa segunda-feira, uma operação de limpeza da prefeitura terminou em confusão. Frequentadores da região começaram a queimar barracas e outros materiais depois que caminhões jogaram jatos de água.
Mágino Alves Barbosa Filho, secretário da Segurança Pública de São Paulo, explicou que os “pequenos traficantes”, na verdade, são os que circulam pela Cracolândia, levando pequenas porções da droga. “O aviãozinho, por exemplo, a polícia prende e depois de dois ou três dias, ele está solto. Hoje você não tem mais o grande traficante circulando na região disse.

Publicado nos meses de Agosto e Setembro de 2017 em: Conteúdo do site oficial - Stock Pictures Maranhão Images.

http://maranhaoimages.com/conte%C3%BAdo%20jornal%C3%ADstico%202%20%26%20news.html

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Stock Pictures Maranhão Images

Conheça a mais nova galeria virtual de quadros fotográficos
http://maranhaoimages.com/photo%20gallery.htmlO Repórter fotográfico Mauricio Maranhão atualizou o site que agora conta com uma galeria virtual para venda de quadros fotográficos com imagens feita ao longo de sua carreira. No site se encontra:
#Fotojornalismo
#Arquitetura
#Galeria de fotos
#galeria virtual
#photogallery
#stockpictures maranhaoimages
#esporte
#restauração de imagens
#portfolio
#quadros
#still
#produtos
#serviços fotográficos

domingo, 6 de agosto de 2017

Festa da cerejeira

-->

Parque do Carmo de 4 a 6 de agosto de 2017


Um dos melhores lugares para apreciar as flores de cerejeira é sem dúvidas nenhuma o Parque do Carmo, localizado no bairro Itaquera, zona leste de São Paulo. Entre Julho e Agosto, 4000 pés de cerejeiras florescem no local propiciando um espetáculo que atrai milhares de visitantes. O projeto foi idealizado há quase 40 anos pelo imigrante Hisayoshi Kataoka.
Kataoka, que inicialmente trouxera 500 mudas do Japão, contou com a ajuda da Prefeitura de São Paulo e do Consulado do Japão para dar início a esse projeto. A Festa da Cerejeira já está em sua 39° edição e neste ano será nos dias 4, 5 e 6 de agosto. Durante a festa ocorre muitos eventos tais como shows de dança, música e barraquinhas de comida oriental.

A cerejeira é a árvore símbolo do Japão e tornou-se a marca dos descendentes da comunidade nipônica que vive na região de Itaquera.
Todos os anos essa comunidade tem a tradição de realizar o "hanami", de sentar sob as cerejeiras e contemplá-las durante um bom período. Familias interiras, jovens e até os mais velhos adoram sentar na grama do parque ou nos troncos das arvóres, para fazerem um pic-nic e contemplarem esse espetáculo da natureza, visto que a florada dura apenas alguns dias e esta data é a única oportunidade de conferir os caminhos formados pelas flores em tons de rosa.


No Japão a floração das cerejeiras (hanami, em japonês) acontece logo após o inverno, entre o final do mês de março e início do mês de abril, quando começa a primavera no hemisfério norte. Contudo, na região norte, o início da florada ocorre em maio, mais precisamente na ilha de Hokkaido, no extremo norte do arquipélago.

É um espetáculo de curta duração (menos de duas semanas), por isso, os locais em que há grande concentração dessas árvores, cuja flor (sakura, em japonês) é considerada símbolo nacional da primavera japonesa, atrai um grande número de pessoas, tanto os próprios japoneses como turistas de todo o mundo.

Durante a floração, as árvores de galhos finos das cerejeiras de médio porte ficam cheias de pequenas flores brancas e, dependendo da espécie, podem ser rosadas. Quando a brisa passa por elas, uma chuva de pétalas encanta os visitantes e recobre o chão com um tapete precioso.

Em todo o país, os japoneses realizam uma verdadeira celebração, levando tapetes e esteiras para forrar no gramado dos parques, onde compartilham alimentos e bebidas como num piquenique sofisticado.

Foto: Mauricio Maranhão/APP-Alliance Photo Press
Stock Pictures Maranhão Images


sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Somente um trem para cobrir a linha azul do metrô

Metrô de São Paulo tem lentidão em duas linhas nesta sexta-feira e a CPTM inaugura a primeira linha da linha 13-Jade



Photos: Mauricio Maranhão/APP-Alliance Photo Press
Sexta-feira, 04/08/2018
Passageiros do transporte coletivo enfrentaram problemas em duas linhas do metrô de São Paulo no início da tarde desta sexta-feira.
Às 13h56, um trem da linha 1-Azul perdeu a tração na estação Conceição, no sentido Tucuruvi.
Por causa disso, um único trem faz o trajeto entre as estações Jabaquara e São Judas; após a São Judas, a circulação é normal.
A linha 3-Vermelha também registra lentidão agora pela conexão que tem com a 1-Azul na estação Sé.
Usuários relataram que as plataformas das estações estão cada vez mais lotadas.
O Metrô informou que o problema foi normalizado às 15h32. O trem que havia sofrido problema de tração já está circulando normalmente. A tendência agora é de melhora no funcionamento das duas linhas. 
Do outro lado,  a  CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) abriu nesta sexta-feira, 4, a primeira estação da Linha 13-Jade, que ligará a malha metroferroviária até o Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, em 2018. Que bem vem!! A maior cidade da América do Sul, ainda não conta com uma ligação direta ao aeroporto internacional.. Antes tarde do que nunca!
A Estação Engenheiro Goulart, que já atendia a Linha 12-Safira, havia sido fechada para reformas. O novo espaço tem área de 1,5 mil metros quadrados, ante os 500 m² que tinha antes, e agora atenderá as Linhas 12 e 13. Reformada, a nova estação tem agora 16 catracas e, segundo o governo do Estado de São Paulo, acessibilidade nas plataformas.
Há ainda na estação um bicicletário para 152 vagas. A Linha 13-Jade, quando for inaugurada e tiver 12,2 km, deve receber 130 mil pessoas por dia.

IBGE indica safra ainda maior para 2017

As novas estimativas divulgadas hoje (11), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Rio de Janeiro, indicam que a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas para este ano será 26,2% maior do que a de 2016, devendo atingir 233,1 milhões de toneladas (contra as 184,7 milhões de toneladas da safra 2016) – a maior da história.
Os dados constam do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de abril, a quarta estimativa de produção de grãos feita este ano. Em relação às estimativas de março, a produção e a área plantada aumentaram em 1,2% e 0,2%, respectivamente.
Os dados indicam, ainda, que a estimativa da área a ser colhida é de 60,8 milhões de hectares, um crescimento de 6,5% diante da área colhida em 2016 (57,1 milhões de hectares). O arroz, o milho e a soja são os três principais produtos deste grupo, que, somados, representaram 93,7% da estimativa da produção e responderam por 87,9% da área a ser colhida.
Segundo o IBGE, em relação ao ano anterior, houve acréscimo de 2,4% na área da soja, de 16,5% na do milho e de 3,3% de arroz. No que se refere à produção, houve acréscimos de 17,5% para a soja, 13,5% para o arroz e 46,8% para o milho.
Regiões e estados
Regionalmente, as estimativas de abril para a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas não apresentaram modificações no item maiores regiões produtoras. O Centro-Oeste continuará respondendo pelo maior volume de produção, com 43,2% da safra do país, seguido pela Região Sul (35,8%), Sudeste (9,7%), Nordeste (7,7%), e Norte (3,6%).
Por estado, Mato Grosso lidera como maior produtor nacional de grãos, com uma participação de 25%, seguido pelo Paraná (18,3%) e Rio Grande do Sul (14,6%). Somados, estes três estados respondem por 57,9% do total nacional previsto para este ano.
Outros estados importantes na produção de grãos, segundo o IBGE, foram Goiás (10%), Mato Grosso do Sul (7,9%), Minas Gerais (6,1%), São Paulo (3,6%), Bahia (3,3%), Santa Catarina (2,9%) e Maranhão (2,1%), que integram também o grupo dos dez maiores produtores do País.
Estimativa de abril
Segundo o IBGE, nas estimativas do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de abril, 15 dos 26 e 6 principais produtos envolvidos na pesquisa apresentaram variação percentual positiva na estimativa de produção em relação ao ano anterior, com destaque para algodão herbáceo em caroço (7,6%), amendoim em casca 2ª safra (36,6%), arroz em casca (13,5%), café em grão-canephora (24,6%), feijão em grão 1ª safra (38,4%), feijão em grão 2ª safra (35,4%), milho em grão 1ª safra (24,1%), milho em grão 2ª safra (60,9%), e soja em grão (17,5%).
Com variação negativa aparecem 11 produtos como aveia em grão (-21,9%), batata-inglesa 3ª safra (-6,7%), café em grão-arábica (-14,7%), cevada em grão (-5,1%), laranja (-8,4%), mamona em baga (-50,8%), mandioca (-9,6%) e trigo em grão (-15,9%).

Photo: Mauricio Maranhão/APP- Alliance Photo Press
Com informações da Agência Brasil

Stock Pictures Maranhão Images -  http://maranhaoimages.com/index.htmlhttp://maranhaoimages.com/index.html

Fotos relacionadas.: http://maranhaoimages.com/portfolio/fotojornalismo%20%26%20press%20photographer.html